Identificação individual pelo DNA

O DNA, ácido desoxiribonucleico, é o material genético encontrado no núcleo das células que armazena as informações genéticas que são transmitidas dos pais para os filhos. Composto por DNA, o genoma de cada ser humano é único e diferente dos demais, com exceção de gêmeos univitelinos e salvo mutações que ocorrem ao longo da vida do indivíduo.

Embora na espécie humana o genoma de dois indivíduos não relacionados seja muito parecido, alguns trechos específicos são extremamente variáveis (hipervariáveis), denominados sequências simples repetitivas ou microssatélites. O local onde uma destas sequências hipervariáveis é encontrada no cromossomo é tecnicamente denominado “loco”. Embora cada indivíduo possa ter somente duas sequências diferentes a cada um destes locos, formas estas denominadas alelos, na população humana como um todo são observadas em cada loco várias formas diferentes (alelos) entre os indivíduos.

O perfil genético de um indivíduo é determinado ao se analisar dezenas destes locos genéticos hipervariáveis. A probabilidade de dois indivíduos apresentarem exatamente os mesmos dois alelos em dezenas de locos genéticos analisados é praticamente zero. Entretanto pai e filho ou mãe e filho compartilham pelo menos um dos dois alelos a cada um das dezenas de locos genéticos analisados.

É portanto a análise dos alelos observados nestes locos hipervariáveis que permite a identificação pessoal precisa e a determinação de vínculo genético de paternidade, maternidade ou irmandade.